Municipal

Atualizado em 06/10/2017 09:24

Caso Lagoa: Vereador rebate acusações e diz que vai processar advogados caluniosos

O vereador Leo Bezerra (PSB) confirmou nesta sexta-feira (6) que vai processar advogados caluniosos que acusaram os vereadores de terem realizado as denúncias ao Ministério Público Federal (MPF) sobre o pagamento de dinheiro que seria desviado da obra da Lagoa.

O advogado Fábio Rocha, que representa o secretário de Infraestrutura da Prefeitura de João Pessoa, Cássio Andrade, acusou nesta quinta-feira (5) os vereadores que fazem oposição ao prefeito Luciano Cartaxo (PSD) de efetuarem as denúncias no Ministério Público Federal (MPF) sobre o pagamento de dinheiro que seria desviado da obra da Lagoa.

 O MPF vem apurando os investimentos na obra do Parque Solon de Lucena. O inquérito se encontra em boas mãos, foram ouvidas as pessoas, documentos foram anexados e chega a notícia deste material, que deixa claro que depois da revelação da CGU dos indícios do superfaturamento, todas as notícias que chegaram à PF e MPF partiram dos parlamentares, políticos que se encontram nas suas atividades , disse.

O advogado, que não citou nominalmente nenhum vereador, revelou ainda que Cássio Andrade está viajando a passeio e retorna para João Pessoa no final de semana.

A denúncia

O Paraíba Já teve acesso nesta quinta-feira (5), com exclusividade, a um trecho do inquérito civil que tramita no Ministério Público Federal (MPF), que investiga os desvios de recursos destinados à reforma do Parque Solon de Lucena, a Lagoa, realizados pela gestão do prefeito Luciano Cartaxo (PSD). Foi anexada ao inquérito uma denúncia que envolve o irmão gêmeo do prefeito, o presidente do PSD de João Pessoa, Lucélio Cartaxo.

A denúncia, recebida pelo procurador Yordan Delgado, responsável pelo inquérito, aponta que recursos da obra teriam sido desviados para favorecer a reeleição de Cartaxo e a campanha para senador de Lucélio Cartaxo nas eleições majoritárias de 2014.

O denunciante solicitou sigilo da sua identificação na denúncia, que também cita o nome da esposa do secretário de Infraestrutura, Cássio Andrade, Luciana Torres Maroja, que trabalha na Caixa Econômica Federal. De acordo com a documentação, Luciana manipulou diretamente e indiretamente os laudos para a obra da Lagoa, facilitando os desvios de dinheiro da obra.

Quanto a Lucélio, irmão de Cartaxo, conforme consta na denúncia, recebeu a quantia de R$ 2 milhões. De acordo com o denunciante, Lucélio comprou dois apartamentos, no bairro do Altiplano. Cada um teriam custado R$ 1 milhão, valor não compatível com seus bens e renda.