Estadual

Atualizado em 06/11/2017 14:24

Saúde prepara Semana Estadual de combate ao Aedes Aegypti com a participação de vários órgãos

A Secretaria de Estado da Saúde, Ses, promoverá, no período de 20 a 24 deste mês, a Semana Estadual de combate ao Aedes Aegypti, em parceria com as Secretarias de Estado da Educação; do Desenvolvimento Humano; Departamento de Estradas e Rodagens (DER); Marinha do Brasil; Orçamento Democrático; Defesa Civil; Cosems e municípios. O objetivo é manter a população em alerta contra o mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika, mesmo com as quedas drásticas no número de casos, em todo estado.

 A ideia de promover esta ação é que, embora no momento a situação epidemiológica esteja controlada, é natural que, a cada dois ou três anos haja um novo surto já que a população tende a relaxar em relação às formas de prevenção contra o mosquito, seja em casa, nos ambientes de trabalho e outros locais de convivência , explicou a gerente executiva de Vigilância em Saúde, da Ses, Renata Nóbrega.

Serão realizadas ações educativas, de promoção e de prevenção, visando ampla mobilização sobre a importância da prevenção de doenças, no combate ao mosquito Aedes aegypti. As atividades serão desempenhadas pelos municípios com a orientação da Ses, em parceria com os diversos órgãos.

 Escolhemos a data de 20 a 24 de novembro, por ser após o Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti ? LIRAa , o que nos dará melhores subsídios para ações de combate ao mosquito, de forma mais efetiva , falou Renata. O 4º LIRAa/LIA, aconteceu no período de 23 a 27 de outubro, de 2017, em todo estado.

Boletim

De acordo com o novo boletim da situação epidemiológica das arboviroses (doenças transmitidas por insetos), referente à 41ª Semana Epidemiológica de 2017, no período de 1º de janeiro a 14 de outubro, foram notificados 3.568 casos suspeitos de Dengue.

Já em 2015 e 2016, no mesmo período, registrou-se, respectivamente, 25.851 e 43.823 casos. Quanto à Chikungunya, em 2017 foram registrados 1.590 casos; já em 2016, no mesmo período, foram 21.255 casos suspeitos e, quanto a Zika, registrou-se 161 casos. No mesmo período de 2016, foram registrados 4.896 casos.

Até a 41ª Semana Epidemiológica, foram notificados 22 óbitos com suspeita de causa de arboviroses. Destes, foram confirmados três para Chikungunya (Caaporã, Campina Grande e Barra de Santana) e dois para Dengue (Bayeux e Conceição). Seis foram descartados (João Pessoa, Massaranduba, Esperança, Bom Jesus e Boqueirão) e 11 estão sendo investigados (Bayeux, João Pessoa, Conceição, Santa Rita, Sousa, Cabedelo, Piancó e Mogeiro).

Da redação