Estadual

Atualizado em 07/12/2017 10:09

Enquanto ISEA passa por problemas, instituto tem médico ganhando mais que ministro do STF; dados são do Sagres

Não é apenas em João Pessoa que a gestão municipal paga ?supersalários? a profissionais de saúde. Em Campina Grande, a Rainha da Borborema,  o cenário também se repete, só que lá o salário chega a ser maior que o pago a médicos da Capital.

Segundo informações divulgadas no portal Sagres On Line, do Tribunal de Contas da Paraíba, parte dos recursos do Fundo Municipal de Saúde são destinados a mais de dez médicos que ganham, cada um, mais de R$ 20 mil mensais.

Mas um, em especial, supera esse valor. Trata-se do médico clínico geral, Doutor Elson da Cunha Lima Filho. Entre os meses de junho a setembro de 2017, conforme dados do Sagres, ele recebeu de remuneração bruta quase R$ 160 mil reais, uma média de R$ 40 mil/mensais. Os valores superam o salário pago ao prefeito Romero Rodrigues (PSDB), que é de pouco mais de R$ 20 mil/mês, e também dos vereadores da cidade.

Os altos salários discrepam da situação da maternidade ISEA, onde o médico dá plantão.

O instituto passa por diversas dificuldades por não oferecer condições de trabalho, com falta de material e de locais adequados para acomodar as gestantes e lactantes. Muitos médicos denunciaram que sequer material adequado e suficiente para realização dos atendimentos.

Não é a primeira vez que o descaso do ISEA é destaque na mídia. Em 2014 o instituto foi tema de matéria exibida no Bom Dia Brasil, da Rede Globo, com destaque para o caso das mortes em apenas três meses, de 45 recém-nascidos, número considerado alarmante pelas autoridades de Saúde, no Isea.