Estadual

Atualizado em 08/02/2018 09:06

Nonato Bandeira avalia que aproximação de legendas de oposição ao Governo se deve à ?sobrevivência? política

legenda da imagem

O chefe de Gabinete do Governo do Estado, Nonato Bandeira do PPS, avaliou que essa aproximação que algumas legendas de oposição buscam com o projeto político do governo estaria relacionada, também, à ?sobrevivência? política.

Em sua avaliação, a base governista poderá eleger até oito deputados federais e 27 deputados estaduais. E vaticinou: o governo deverá passar de 16 partidos para 18 partidos aliados. Nonato observou que os partidos fazem parte da base de Ricardo Coutinho, mas ainda é preciso conversar com todos para conhecer quais os rumos os partidos devem tomar.

Os partidos têm simpatia pelo nome de João Azevedo. Agora o secretário precisa construir isso junto aos partidos. Posso falar da parte do PPS, a maioria quer o nome de João Azevedo. Senti um crescimento muito forte, principalmente do Sertão para Campina, com relação a João, temos notado isso através de visitas nas regiões. As pessoas querem a continuidade do projeto de Ricardo Coutinho através do secretário João Azevedo, mas cada partido vai fazer isso no momento certo, em suas agremiações, disse ele.

Quando assunto é a candidatura das oposições, Nonato acredita que não existe um projeto definido entre os nomes que se colocam. A oposição não tem projetos, eles ficam batendo cabeça exatamente porque não tem um coisa que os uma, diferente da candidatura do governo, que tem projeto e defende claramente a continuidade deste. Quem tem três ou quatro candidatos, mostra que não tem projeto único, disse.