Estadual

Atualizado em 09/02/2018 08:37

Para Couto, Temer e parte do Judiciário conspiram na surdina contra Lula

legenda da imagem

O deputado federal Luiz Couto (PT) foi à tribuna da Câmara Federal esta semana acusar a gestão do presidente Michel Temer (MDB) de conspirar pela condenação do ex-presidente Lula, com a anuência de parte da Justiça.

 O Governo Federal articula, em surdina, para que Lula não seja candidato, em 2018. São diversas reuniões escondidas com figurões do Judiciário. É como se fossem fofoqueiros de plantão aumentando o assunto, sem provas concretas. Parte do Judiciário que julgou o ex-presidente Lula, considerou fofocas em vez de provas , disse.

Couto citou ainda que um dos algozes de Lula é a Globo:  Sempre que fala do ex-Presidente mais querido do Brasil, apequena sua história, acusa-o indevidamente e persegue como se fosse o pior dos seres humanos. A Globo tem medo de uma nova candidatura de Lula, pois ela não preza pela democracia popular e, sim, pela ditadura das elites .

Outro perseguidor do ex-presidente é o Governo Federal, segundo Couto.  Já não bastasse o golpe contra a Presidenta Dilma Rousseff, o Governo Federal articula na surdina para que Lula não seja candidato em 2018. São diversas reuniões escondidas com figurões do Judiciário. É como se fossem os fofoqueiros de plantão aumentando o assunto sem provas concretas. Parte do Judiciário que julgou o ex-Presidente Lula considerou fofocas em vez de provas .

Em sua explanação, ele acrescentou a elite neoliberal no rol dos inimigos do petista.  Eles têm medo que Lula catalise novamente os descontentamentos que não deixaram de existir com o fim da ditadura. A questão social continua a arder no País porque voltou a existir a desigualdade social. Os processos eleitorais parecem permitir que as elites tradicionais fiquem no controle da vida política brasileira e que o povo continue excluído das decisões governamentais .

Ele concluiu seu pronunciamento dizendo que no dia 24 de janeiro houve um processo  de inventa crime .  Toda decisão foi tomada em nome da moral das grandes mídias e do clamor sociopata da fraude processual ou mesmo do medo de se erguer um país afundado nas profundas torpezas inconstitucionais , resumiu o deputado paraibano.