Estadual

Atualizado em 15/05/2018 07:39

Amadeu Rodrigues diz que querem lhe tirar da presidência da FPF à força

legenda da imagem

O presidente da Federação Paraibana de Futebol, Amadeu Rodrigues da Silva Junior, disse na tarde de ontem, durante entrevista coletiva na sede da entidade, na capital, que estão querendo tomar à força a FPF. Afirmou está sendo injustiçado, ser inocente e que vai provar na esfera judicial que é vítima de uma armação, endereçando parte dessa situação ao seu vice-presidente, Nosman Barrero.

Forças externas ficam fazendo denúncias infundadas, acusações, fraudes, falsidade, extorsão, dentre outros atos ilícitos. Estão forçando uma renúncia para me retirar à força da federação, afirmou Amadeu Rodrigues, que, atendendo determinação de sua assessoria jurídica, apenas leu declaração elaborada pelos advogados, não respondendo perguntas de jornalistas, em virtude de o processo transcorrer em segredo de Justiça.

Amadeu Rodrigues convocou a imprensa um dia após o programa Fantástico, da Rede Globo, exibir pela segunda vez reportagem sobre a Operação Cartola, da Polícia Civil e Ministério Público da Paraíba que apura manipulação de resultados de jogos ao longo de vários campeonatos de futebol profissional no Estado. Na ocasião, os apresentadores do Fantástico pegaram os desportistas paraibanos de surpresa, quando anunciaram o mineiro Flavio Boson Gambogi, membro da 5ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, como interventor da federação, por determinação da presidência daquela Corte.

Até o momento da entrevista coletiva, nenhum documento oficial do STJD sobre a intervenção na FPF havia chegado, mesmo assim, o advogado Hilton Souto Maior (Hiltinho) frisou que, caso a intervenção seja oficializada, Amadeu Rodrigues se afasta apenas de suas funções, permanecendo como presidente da Federação Paraibana de Futebol.