Estadual

Atualizado em 25/06/2018 09:28

João entra na polêmica das agulhadas no São João de CG e mira artilharia contra gestão Romero: Diz muita besteira

legenda da imagem

Durante uma entrevista neste fim de semana o pré-candidato a governador pelo PSB, João Azevêdo rebateu as declarações do prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSDB), que acusou o Governo do Estado de estar por traz dos 42 casos de ferimentos ocasionados por objetos semelhantes a agulha registrados durante a edição 2018 do Maior São João do Mundo no Parque do Povo, em Campina Grande. Para João, Romero deveria exigir da empresa para qual ele vendeu o São João, a segurança prometida para o evento.

O prefeito Romero, que vendeu o São João de Campina Grande, deveria exigir da empresa a qual ele vendeu o São João que colocassem os detectores de metais que ele disse que ia colocar, que colocasse a vigilância interna que disseram que ia colocar, que tivesse dado os espaços para os ambulantes, e não tivesse cortado os espaços pela metade só para vender espaço vip para ganhar dinheiro, ou seja, o prefeito Romero deveria ter essa preocupação ao invés de levantar absurdos como esse. A polícia está investigando e claro que vai chegar a uma conclusão. A oposição se perde porque fala muito e diz muita besteira, disse João.

Entenda o caso -  Durante entrevista concedida nesta quinta-feira (21) a um programa radiofônico da cidade, o prefeito campinense afirmou que pessoas que espalharam informações referente as agulhadas no Parque do Povo são vinculadas ao governo do estado da Paraíba.

Essas informações não passam de uma maquiagem política no sentido de tentar diminuir o tamanho e a grandeza da festa. Lamentavelmente, é um uso eleitoreiro, isso é uma inverdade que atenta não contra a minha pessoa, mas contra toda uma cidade e festa que tem uma tradição de mais de 34 anos. Pessoas que estavam espalhando essa mentira todas têm contracheque no governo do Estado e tinham a vinculação política, criticou.