Policial

Atualizado em 10/09/2018 17:53

Cai para 92 número de foragidos do PB1; 43 já foram recapturados

Recontagem aponta 92 fugados e 43 deles já estão de volta às celas; Segurança tem mil homens nas ruas; objetivo da ação foi libertar quadrilha de explosão a bancos

legenda da imagem

Uma recontagem realizada durante toda a manhã e divulgada no início da tarde desta segunda-feira (10) apontou que o número de presos foragidos da Penitenciária de Segurança Máxima Dr. Romeu Gonçalves de Abrantes ? PB1 e PB2 é 92, dos quais 43 já foram recapturados. Em coletiva realizada na Secretaria da Administração Penitenciária (Seap), as forças de segurança da Paraíba confirmaram o emprego de mais de 1.000 policiais militares e civis, que reforçam as diligências relativas à recaptura de  detentos foragidos.

De acordo com o tenente coronel Sérgio Fonseca de Souza, secretário de Administração Penitenciária do Estado, a ação criminosa teve como alvo o resgate dos detentos Romário Gomes da Silveira, conhecido como ?Romarinho?, Ivanilson Pereira de Macedo e Antônio Arcênio de Andrade Neto, todos suspeitos de assalto e explosão a carro-forte e presos pela Polícia Militar da Paraíba no dia 6 de agosto deste ano, na cidade de Lucena.

O que aconteceu no PB 1 foi uma ação pontual. O objetivo principal foi resgatar Romarinho, chefe do grupo criminoso. A incursão dos homens que efetuaram o resgate na unidade prisional aconteceu com uso de armamento de calibre restrito, como fuzil 556 e 762 e .50, explosivos, além alicates para retirada dos cadeados que davam acesso à cela, no Pavilhão 2. O preso Livaci Muniz da Silva, também envolvido na ocorrência em Lucena, não foi resgatado, disse o secretário, reforçando que Romarinho já foi preso duas vezes na Paraíba e será preso novamente.

O tenente coronel Sérgio Fonseca de Souza ainda informou que os alicates utilizados para a fuga de Romário, Ivanilson e Antônio, foram usados por outros presos do PB 1, que violaram cadeados e fugiram a pé pela mata.

O coronel Euller Chaves enfatizou o reforço da Polícia Militar também nas divisas da Paraíba e a articulação com as forças de segurança dos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará, para localização e recaptura dos detentos. Desde as primeiras horas, fizemos uma interação permanente e deslocamos efetivo policial a fim de ocupar e saturar pontos estratégicos. Estamos de prontidão para caçar esses indivíduos e, se necessário, neutralizá-los. São mais de mil homens nas ruas para tranquilizar a população, ratificou, lamentando a morte do tenente PM Erivaldo Silva Moneta, 33 anos, atingido por disparo de arma de figo na cabeça durante confronto na PB 008. Ele foi socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma e o falecimento confirmado por volta das 12h.

O que temos a dizer à população é que confie nas suas Polícias. Nós não vamos descansar enquanto não dermos uma resposta eficiente para esse evento. Sabemos que o Brasil todo passa por essa situação e a Paraíba em um período de oito anos não tinha registrado um fato dessa natureza, mas estamos prontos, nas ruas. As escolas estaduais estão funcionando e nós estamos à disposição da sociedade. A apuração está adiantada e o Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil está trabalhando no inquérito policial, frisou o secretário da Segurança e da Defesa Social, Cláudio Lima.

Durante a coletiva de imprensa, que também contou com as presenças do secretário de Comunicação Institucional, Luís Tôrres, do delegado geral de Polícia Civil, João Alves de Albuquerque, e do secretário executivo da Seap, João Paulo Ferreira, ainda foi informado que todos os danos causados àquela unidade prisional já foram sanados, com conserto de dois portões e a substituição dos cadeados violados durante a ação criminosa.