Estadual

Atualizado em 10/09/2018 17:55

RC avisa que governo do Estado não compactua com crime organizado e garante recaptura em massa

legenda da imagem

Quarenta e um já foram recapturados. Os outros serão, eu não tenho a menor dúvida disso. A declaração é do governador Ricardo Coutinho (PSB), nesta segunda-feira (10), ao repercutir a fuga dos 105 detentos do presídio de Segurança Máxima, o PB1, na madrugada de hoje.

De acordo com o governador, a polícia já está na rua porque a gestão estadual não compactua com o crime organizado, tanto é que desde que a gestão do PSB assumiu a administração o número de de prisioneiros praticamente duplicou.

O governador explicou que a ação foi pontual e orquestrada unicamente para liberar chefes do crime organizado, entre eles um ex-assessor da prefeitura de Campina Grande.

Primeiro é um ataque, não foi simplesmente uma fuga, é um ataque de uma organização criminosa, utilizando recursos de terrorismo, armas que as polícias são proibidas de terem, a exemplo da metralhadora ponto 50, que perfura tranquilamente as paredes dos presídios brasileiros. Mas aqui no Brasil aquelas armas estão nas mãos de bandidos e aquele ataque foi feito para resgatar chefes da Alcaida, interrelacionados com o PCC. O restante que fugiu foi mais em função de terem aberto o portão. Dos 105 que fugiram, 41 já foram recapturados. Os outros serão, eu não tenho a menor dúvida disso e a polícia trabalha e continua trabalhando para continuar desmontando as quadrilhas do crime organizado aqui dentro. Esse Romarinho e o Betinho, os dois cabeças que fugiram, o Betinho já foi recapturado, falta o Romarinho, que é aquele que trabalhava no gabinete da prefeitura de Campina Grande, que tinha sido preso em fevereiro, foi solto numa audiência de custódia, depois foi preso em Lucena com armas de grosso calibre, e deve ter seu valor para uma organização, disse.

O governador ainda alertou para existência de oportunismos eleitoreiros por conta do ataque e avisou que a polícia está na rua tomando o controle da situação.

A polícia já está no controle da situação. Fora alguns oportunismos ou algumas proliferações de coisas que não ocorreram. Não houve nada com a UPA, não houve nada com Acadepol, enfim, a polícia está trabalhando por isso que muitos estão sendo presos. Eu assumi eram 7 mil detentos e hoje temos quase 14 mil, e isso mostra que meu governo não compactua com o crime organizado, arrematou.