Estadual

Atualizado em 25/09/2018 06:49

João garante implantar centros de monitoramento de segurança

legenda da imagem

O candidato do PSB ao Governo do Estado, João Azevêdo, participou de uma entrevista na TV Tambaú, afiliada do SBT na Paraíba, no início da tarde desta segunda-feira (24). Na oportunidade, João apresentou propostas nas área de Educação, Economia e Segurança, além de destacar ações da gestão do PSB ao longo dos últimos sete anos e meio com o governador Ricardo Coutinho. Quero que a Paraíba se renove em cada política pública, é isso que vamos buscar, resumiu inicialmente o socialista.

De maneira propositiva, João destacou que pretende ampliar políticas públicas já implantadas pelo governador Ricardo Coutinho, e criar novos dispositivos para seguir melhorando a vida dos paraibanos.

Algumas das propostas apresentadas foram: ampliação do programa de intercâmbios GiraMundo, incluindo levar o programa para a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB); abertura de mais 50 escolas de tempo integral a partir de fevereiro; e o programa Primeira Chance, para oferecer o primeiro emprego a alunos das escolas técnicas.

Com relação a segurança pública, João destacou que há uma série de propostas para garantir a diminuição dos índices de violência que já vem acontecendo na Paraíba nos últimos anos. Centros de Monitoramento de Controle, convocação dos 500 aprovados no último concurso da Polícia Militar, investimentos em inteligência, criação de quatro batalhões, além de melhorar a qualidade das delegacias são alguns dos principais pontos do plano de governo do PSB apresentados por João durante a entrevista.

A Paraíba tem demonstrado, pelos quatro cantos que andamos, que compreendeu a mensagem. A Paraíba nem pode voltar ao atraso, ou muito menos cair na mão de algum incompetente. Precisamos continuar avançando, afirmou o socialista.

João destacou que vai dar o salto sobre o salto no desenvolvimento. Foi um projeto conduzido por Ricardo, e que, sem dúvida, a partir de janeiro, darei continuidade, para transforma a vida das pessoas. Porque é para isso que um governo tem que se propor, finalizou João.