Municipal

Atualizado em 09/10/2018 11:34

Vereador é acusado de dá surra em eleitor em via pública por não votar em candidato do seu partido

legenda da imagem

O vereador da cidade de Salgado de São Felix-PB, Ivandro José Vieira da Silva (PSB), conhecido como Vando de Bá, está sendo acusado de ter dado uma surra em via pública, na manhã desta segunda-feira, dia 8, em Maria das Graças Pessoa da Silva, simplesmente pelo fato da mesma não ter votado em seu candidato a deputado estadual, nas eleições do último domingo. O caso foi registrado na Delegacia da Cidade de Itabaiana, tendo a delegada de plantão, Lídia Costa Veloso expedido requisição de exame de lesão corporal, já realizado no Instituto de Polícia Científica (IPC), em João Pessoa.

O resultado do exame sairá oficialmente na próxima sexta-feira, no entanto, vários edemas já foram constatados por peritos do IPC. De acordo com o relato na delegacia, que constam tanto no Boletim de Ocorrência quanto na Requisição de Exame de Lesão Corporal, Maria das Graças Pessoa da Silva se encontrava nas proximidades da sua residência, no Sitio Feira Nova, na zona rural, quando foi agredida fisicamente com socos na boca, no rosto, no pescoço, além de vários chutes por várias partes do corpo, pelo vereador Ivandro José Vieira da Silva. As agressões teriam ocorridos por volta das 07h.

Indefesa, Maria das Graças apenas gritou, o que fez com que o suposto agressor se evadisse do local.  Ao seu advogado e também à delegada Lídia Veloso, a vítima informou que as agressões aconteceram pelo fato do vereador Vando de Bá ter dito que ela não teria votado em seu candidato a deputado estadual, da própria legenda. A autoridade policial, no entanto, aguarda a chegada do exame pericial para a tomada das providências. Ela pretende intimar o vereador para dá sua versão, no entanto, a intenção do advogado constituído por Maria das Graças é que o caso seja encaminhado para Justiça Pública.

Um áudio gravado por uma das amigas de Maria das Graças, que servirá de testemunha contra o vereador, afirma que o acusado teria dito que não iria ficar por isso não, pois ainda iria agredi-la. A testemunha informou que vai dizer perante a Justiça que o agressor está planejando mais uma vez atentar contra a vítima.