Deborah Evelyn abre o jogo sobre cenas de lingerie, casamento à distância e beleza: ‘Me sinto mais bonita hoje’

Depois de passar cerca de quatro horas em sessão de fotos com Deborah Evelyn fica fácil entender o sucesso absoluto da atriz dentro e fora de A Dona do Pedaço. Já nos primeiros minutos de papo, enquanto faz a maquiagem, a equipe é arrebatada pela humildade, leveza e senso de humor dessa artista de 53 anos, que aos 36 de carreira tem se deliciado com a fogosa Lyris, sua personagem na novela das nove.

E não é para menos. Meiga e abusada, a socialite chegou feito um furacão no horário nobre. Como na história ela esgotou todas as possibilidades de tentar salvar seu casamento com Agno (Malvino Salvador), após sofrer forte rejeição por parte do marido na cama, decidiu ir à luta para satisfazer seus desejos e tem “terceirizado” parceiros mais novos, como define suas puladas de cerca.

A primeira investida foi o entregador de bolos, Tonho (Betto Marque). E vem mais por aí. Nos próximos capítulos, Lyris vai finalmente descobrir o motivo do desprezo de Agno. Ele é gay. E a separação promete chegar à temperaturas escaldantes, não no bom sentido, entre o casal. Fato é que a socialite caiu na boca do povo e Deborah está feliz da vida com toda essa repercussão.

Nesta entrevista, ela se revela uma apaixonada pela vida, pela filha, Luiza Carvalho, de 26 anos (da relação com o diretor Dennis Carvalho, de 72); pelo marido, o alemão Detlev Schneider, de 60; pela carreira… E também apaixonante! Raridade no meio artístico, foi a atriz quem negociou diretamente, sem intermédio de empresário ou assessor, este ensaio exclusivo para o Gshow em clima sensual e chique, como sua personagem. Bem prática, disponível e profissional.

Fenômeno na internet
“Adoro o fato de a Lyris estar na boca do povo. Acho que aconteceu isso porque juntou com esse momento de empoderamento da mulher, de a gente estar pegando nossa história, nossa vida, nossos prazeres nas nossas mãos. E é assim que tem que ser mesmo! O Walcyr (Carrasco, autor) falou que ela não ia ficar sofrendo com o fato de o marido não dar bola para ela, o que achei ótimo. Isso não quer dizer não se relacionar, não se envolver. Mas não é todo mundo que é obrigado a ter desejo por você, então vai procurar quem tem, né? A Lyris é muito divertida.”

Segura de si
“Ela tem uma autoestima que acho maravilhosa, quem me dera ter a da Lyris. Quando vejo as cenas e se estou num dia mais tristinha ela me coloca para cima. Como diz uma amiga minha, a Adriana (Esteves), têm personagens que a gente descansa da gente mesmo fazendo. É incrível.”
Cenas de lingerie
“Não é uhu, não! É difícil. Como atriz, sempre fiz as mais emotivas. Preciso dizer que tenho pouca técnica para esse tipo de cena (risos). Mas tenho tanta sorte de fazer com a Amora (Mautner), que é uma das diretoras com mais bom gosto que conheço, e com toda a equipe dela, de figurino, de arte. São cuidadosos e isso me dá segurança. Está tudo muito chique, nada apelativo.”

Fantasias e truques para despertar desejo no outro
“Acho que você tem que ir em frente com sua criatividade e usar o que for gostoso. Mas não acho que seja uma obrigação, porque podem ter relações em que isso não seja fundamental. Eu, por exemplo, já tive relações onde não tinha isso e tudo bem. Se tem, aí é tão bom, tão lúdico, juntar imaginação e criatividade nesse jogo sensual e sexual. Acho ótimo. Gosto de uma produção. Não é sempre, claro. Primeiro porque é trabalhoso e banaliza. De vez em quando, em ocasiões especiais.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *