Jackson Macêdo expõe posição dúbia sobre apoio do PT ao governo de João Azevêdo

O presidente do PT na Paraíba, Jackson Macêdo, resolveu entrar no impasse envolvendo o PSB no Estado. Na última terça-feira (10), ele divulgou nota à imprensa afirmando que a legenda seguiria apoiando a gestão do governador João Azevêdo (PSB). Nesta sexta-feira (13), no entanto.

No áudio que teria sido publicado em um grupo fechado de WhatsApp, composto por integrantes do diretório petista, Jackson Macêdo se posiciona de forma veemente em defesa da candidatura do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) à Prefeitura de João Pessoa, em 2020, e deixa claro que, caso João Azevêdo mude de partido, ele romperá com o governador.

“O PT não pode abrir mão de ter Ricardo Coutinho liderando o campo progressista na disputa municipal em João Pessoa no ano que vem. Defendo claramente, publicamente e abertamente, que o PT apoie Ricardo Coutinho à prefeitura se ele for candidato. Não tenho dúvida disso, que ele é o melhor nome. Defendo que o bloco esteja unificado”, afirmou inicialmente Jackson.

Para o líder petista, a possível saída de João do PSB só favoreceria aos adversários, como, segundo Jackson, o fascismo, a direita conservadora, Jair Bolsonaro, Luciano Cartaxo, Cássio Cunha Lima, José Maranhão, entre outros.

“É papel do PT, no campo progressista, lutar para que João continue nesse campo. Não podemos abrir mão disso, o PT não pode abrir mão de manter o debate para que esse governo continue nesse campo”, disse.

Ala petista pode estar pressionando
Parecendo estar dando resposta a uma ala petista que quer a saída do partido da base de apoio ao governo João Azevêdo, Jackson diz que não é momento para antecipar essa movimentação.

“Querer antecipar saída de governo, rompimento agora com João, isso é de um erro tático sem tamanho que alguém possa querer construir nesse momento”, declarou. “O PT tem que reafirmar que faz parte desse governo, é base desse governo, e continuará lutando para que esse governo continue na esquerda”, completou.

Rompimento
O áudio vazado por um dirigente petista, porém, deixa margem para interpretar que Jackson Macêdo pode romper com a gestão João Azevêdo. Isso poderia acontecer caso o governador efetivamente mude de partido e troque o campo progressista por uma sigla mais conservadora; com isso, o PT deixaria a gestão estadual.

“Se por alguma decisão política João e seu grupo político decidirem sair do campo e ir para um partido de linha mais conservadora, o PT não pode se privar de, imediatamente, tomar a decisão de romper com o governo. Mas romper agora? Sair do governo agora? A quem interessa esse movimento? O PT não abre mão disso, de reafirmar o apoio a João Azevêdo”, pontuou o petista.

Críticas a imprensa
No fim do áudio, Jackson diz lamentar que alguns paraibanos tenham tido a leitura de sua nota a partir da veiculação por alguns veículos de imprensa, e ataca alguns profissionais. O petista chegou a citar o Paraíba Já no momento que teceu as críticas.

“Lamento muito que poucas pessoas façam análise da nota a partir de matéria dos blogs da Paraíba, de Anderson Soares, Fábio Bernardo (fundador e colunista do Paraíba Já), Heron Cid e companhia limitada. Esse debate vou começar a fazer a partir de amanhã, sem titubear de forma alguma”, finalizou o presidente do PT na Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *