Ambição de diretores da FPF causa descontentamento

Se já não bastassem os altos salários que recebem como funcionários da Federação Paraibana de Futebol, diretores nomeados pela presidenta Michelle Ramalho vem “engordando” cada vez mais suas contas bancárias nos finais e meios de semanas quando dos jogos oficiais, sejam eles nos campeonatos profissionais promovidos pela entidade, sejam eles nas disputas de partidas dos Brasileiros Série C e D, onde a Paraíba tem assento, na Copa do Brasil e também nas suas categorias de base.
Funcionários como Otamar Almeida (diretor executivo), Tassiano Gadelha (ouvidor), Nosman Filho (vice-presidente), Gustavo Barreiro (diretor de competições), Pedro Fialho (Diretor Financeiro), Bráulio (membro da Diretoria de Finanças) e Raniery Soares (assessor de comunicação) estão sempre nas escalas de jogos, tirando assim a oportunidade de outros, principalmente diretores de clubes, que apoiaram a atual presidente a ganhar o pleito eleitoral em setembro do ano passado.
Cada funcionário, que recebe salário mensal da FPF entre R$ 2 mil e R$ 7 mil, com essas rendas extras devido as escalas de jogos, chegam a multiplicar seus vencimentos, isto porque, os clubes em disputas são obrigados a pagarem taxas ao pessoal de apoio da federação, taxas essas diferenciadas de acordo com cada competição.
Outra reclamação da maioria dos clubes diz respeito a “blindagem” que é feita a presidenta da FPF, Michelle Ramalho, já que, ao entrar na federação, é dado rapidamente de cara com uma porta fechada avisando ser o acesso restrito e que até a se chegar a Presidência, se faz necessário uma série de interrogatórios e, às vezes o dirigentes sendo obrigado a voltar antes mesmo de se aproximar a presidente da entidade, não conseguindo assim falar com ela.
Os fatos narrados pelos próprios dirigentes de clubes já demonstram uma insatisfação generalizada em torno de 70% dos clubes que elegeram a atual gestão, o que, se ocorresse eleição hoje para a FPF, dificilmente Michelle Ramalho seria reconduzida ao cargo.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *